Um dos pilares da chamada Indústria 4.0, os gêmeos digitais (digital twins) são considerados pela Gartner uma das 10 tendências mais relevantes no âmbito de TI.

De acordo com a consultoria, um terço das organizações mundiais irão adotar soluções de Inteligência Artificial e Gêmeos Digitais em conjunto com projetos de Internet das Coisas, até 2023.

“Gêmeos digitais representam o presente e o futuro das empresas e da indústria, pois ao representar, de forma digital, um processo, estrutura ou sistema, fazem a ponte entre o mundo físico e o virtual”, explica Duperron Ribeiro, CEO da PhDsoft.

“Dessa forma, são capazes de monitorar, analisar e aperfeiçoar o desempenho de processos, reduzir custos e aumentar a produtividade”, acrescenta.

 

C4D: primeiro gêmeo digital do mercado

 

Em 1993, a PhDsoft lançou a primeira versão do C4D, tecnologia robusta e comprovada que prediz com precisão a degradação e corrosão de ativos complexos ao longo do tempo.

Seu primeiro cliente foi a Transpetro em 1995, que passou a utilizar o C4D em seus navios”, lembra.

Este foi o primeiro Gêmeo Digital do mercado. Somente oito anos depois o termo Digital Twin veio a ser criado. Desde então, a PhDsoft vem liderando a tecnologia de Digital Twin.

Artigo publicado em janeiro na MIT Technology Review – revista do Instituto de Tecnologia de Massachusetts –, aponta os gêmeos digitais (digital twin) como protagonistas da transformação tecnológica em andamento.

 

De acordo com Guga Stocco, criador da operação online do Banco Original e co-fundador da empresa de venture capital Domo Invest, na indústria, gêmeos digitais são considerados os protagonistas das fábricas inteligentes.

 

Potencial para uso de indivíduos

“[A consultoria mundial] Gartner prevê que até 2021, metade das grandes empresas e industrias usará gêmeos digitais, o que se traduzirá em uma melhoria de 10% em sua eficiência”, destaca.

 

“No dia a dia dos indivíduos, os gêmeos digitais têm um potencial enorme à medida que a realidade virtual e aumentada vão evoluindo, as redes de 5G vão sendo implementadas e os óculos de VR ganhando novos designs, formatos e funções”, acrescenta.